23 de dez de 2011

FELIZ NATAL!!!

Eu não gosto do Natal, na verdade não gosto de datas comemorativas em geral. Acho tudo muito programado, tudo certinho...
Mas admito que, no caso do Natal, muitas pessoas se sensibilizam, e muitas outras tantas pessoas são ajudadas, e isso é muito bom. Isso é ótimo!!!
E eu? Eu nada.
Esse final de ano virou uma correria que só, estou esquecendo de viver e aproveitar a minha vida.
Não consigo colocar as minhas ideias em ordem, não estou achando o foco, estou perdida de novo.
Quem sabe, nesse Natal, aparece uma estrela de Belém para mim, orientando essa minha jornada, que talvez, só talvez, acaba de começar...

14 de dez de 2011

SENSIBILIDADE

Aprendi a duras penas (meio dramático, mas foi assim mesmo) a valorizar qualquer coisa. Grande, pequena, rápida, passageira, enfim, fazer com que o momento se torne eterno dentro do meu coração.
E foi o que aconteceu hoje, quando li o comentário de uma pessoa que eu não conheço pessoalmente, mas posso afirmar que é uma pessoa incrível, porque eu senti isso: Debby do blog Em nossas vidas.
No post anterior ela escreveu o seguinte:

"Oi Sula...
Essa postagem sua me lembrou um trecho do livro do Desassossego de Fernando Pessoa..
E como você se identifica com ele.
Parabéns de novo..
Bjs e muita paz
Debby :)"

Eu gostei muito porque nunca li uma livro de Fernando Pessoa.
E porque Fernando Pessoa é Fernando Pessoa.
E ontem ela me mandou um trecho do livro. Do meu ponto de vista foi de uma sensibilidade e carinho que por vezes nem quem está próximo pessoalmente é capaz de ser.
Então, esse post é uma homenagem a minha nova amiga, que me conhece muito melhor do que muita gente que eu conheço.
Beijos, Debby.

9 de dez de 2011

PERDIDA

Estou perdida novamente...
O que ocorre na minha vida é o reflexo de meus atos, lógico. Mas está tudo tão confuso. Quando sou sincera, ninguém acredita. Interpretam de modo torto o que digo ou faço. Como assim?
Não sei o que fazer, não sei como agir, mas vou tentando decifrar a minha vida.
Tirar o máximo de proveito dessa lição, é o que me resta...

1 de dez de 2011

MALDADES

Existem dois tipos de maldade: a maldade instintiva, inocente, ingênua e a maldade hipócrita.
A primeira é uma maldade quase que aceitável. Quem pratica esse tipo de maldade não sabe que está sendo maldoso, não tem consciência de suas atitudes. Cabe a quem tem um pouquinho mais de sabedoria esclarecer o que se passa, e ajudar para que tal ato não se repita.
A maldade hipócrita é a pior. É a mais canalha possível. Se valer desse tipo de maldade é desumano. Quem pratica esse tipo de maldade é mal, ruim, e sabe disso.
Cabe a cada um de nós identificar as maldades, e a partir daí tomar as devidas providências.